Alceu Valença completa 70 anos de pura cultura Pernambucana

Alceu Valença completa 70 anos de pura cultura Pernambucana

Alceu Paiva Valença completa 70 anos nesta sexta-feira (1º), mas de acordo com o próprio compositor – poderiam ser apenas 7. Depois de 35 discos lançados, entre álbuns de estúdio e trabalhos ao vivo, um livro publicado e um filme como diretor, o artista tem consciência das experiências que fazem dele o maior nome da música pernambucana atualmente, sem deixar de ser uma criança curiosa e inquieta, disposta a se arriscar pelo desconhecido e se aventurar entre novidades.

“A gente dá um calendário para o tempo, mas o tempo é contínuo. Então, faço agora 70 07 (são 70 anos que ao contrário é 07). Eu posso ter sete anos de idade, porque ainda está faltando tudo, o ser humano sempre quer construir alguma coisa nova. Eu comecei a escrever um livro agora, por exemplo”, explica o compositor pernambucano, ao revelar que recentemente vive um surto criativo literário que pode gerar seu primeiro romance, embora ainda não tenha definido o gênero.

Além do livro, Alceu dá continuidade ao seu trabalho como diretor de cinema, e atualmente está preparando seu segundo filme, que será um documentário sobre sua estadia na França, em 1978, partindo da sua infância em São Bento do Una. O trabalho será inteiramente gravado com uma câmera Super 8 e terá a participação especial do filho Juliano, 24 anos, que o interpretará quando mais jovem.

Porém, a grande novidade de 2016 para os amantes do músico é o relançamento dos LPs da carreira solo, produzidos durante a década de 1970 que, até então, estavam fora de catálogo. “Molhado de Suor”, “Vivo!” e “Espelho Cristalino” voltarão às prateleiras em edição prensada pela Deck, que também lança oficialmente o título “Saudade de Pernambuco”, gravado em Paris, em 1979, mas que até hoje permanecia engavetado.

A lista ainda cresce com a chegada da trilha sonora de “A Luneta do Tempo” ao mercado, além da recriação do show “Vivo!” no Teatro de Santa Isabel no ano passado, que renderá o CD e DVD “Vivo Revivo!”, cujo lançamento está previsto ainda para este ano. O “bicho maluco beleza” enfim alcança os 70 anos a todo vapor, como quem chega aos Quatro Cantos (de Olinda) descendo ladeira e atiçando calor.

Com informações da Folha-PE/ Especiais 
Foto: Reprodução Google