Intenção de Consumo Familiar em Pernambuco ganha fôlego para 2024

Intenção de Consumo Familiar em Pernambuco ganha fôlego para 2024

O Índice de Intenção de Consumo das Famílias (ICF) variou 0,6% no Brasil e 2% em Pernambuco entre dezembro/2023 e janeiro/2024. No estado, há sinais de melhoria em indicadores como emprego, renda, compras a prazo e perspectiva de consumo. A população de renda mais alta demonstra maior satisfação no emprego e boas expectativas de carreira.

Em relação ao acesso ao crédito, 50% da população com renda acima de 10 salários-mínimos afirma que ficou mais fácil obtê-lo, indicador que alcança 35,9% da população cuja renda familiar é inferior a 10 salários-mínimos. Quanto ao consumo, 41,2% das famílias com até 10 salários-mínimos compram menos do que no ano passado, enquanto a população acima de 10 salários-mínimos indica que 46,8% têm comprado mais.

Em Pernambuco, 28,7% das famílias de menor renda relativa esperam consumir mais, enquanto 35,9% das famílias com renda superior a 10 salários-mínimos têm a mesma expectativa. No entanto, 50,2% dos pesquisados consideram este um mau momento para compra de bens duráveis. O presidente da Confederação Nacional do Comércio de Bens, Serviços e Turismo (CNC), José Roberto Tadros, destaca a recuperação do consumo, reconhecendo os desafios a serem superados. Para a Fecomércio-PE, a perspectiva otimista da população de menor renda relativa é um ponto a ser observado, alerta o economista Rafael Lima.