Padre de 86 anos é degolado pelo Estado Islâmico e França pode começar guerra

Padre de 86 anos é degolado pelo Estado Islâmico e França pode começar guerra

O Estado Islâmico continua a fazer vítimas na França. Nessa terça-feira, 26, mais um atentado atingiu o país, dessa vez na região da Normandia. Dois homens armados com facas fizeram reféns um padre, duas freiras e dois fiéis em uma igreja de Saint-Etienne-du-Rouvray. Um padre bastante conhecido da região foi morto. O ataque não é só terrorista como também o que demonstra ser o que pode ser o início de um guerra religiosa. O padre de 84 anos morreu degolado. Os demais reféns estão em estado grave. A freira corre grande risco de morrer. Em comunicado feito na televisão, o presidente francês, François Hollande, disse que as coisas não ficariam impunes

Para analíticos, a Europa pode se unir de vez e começar uma séria guerra contra o Estado Islâmico. François confirmou ainda que os homens ao invadirem a igreja da Normandia confirmaram que eram sim do grupo terrorista. Ações como essa geram cada vez mais preconceito com o povo árabe e com o Islamismo. Isso porque todos os ataques do tipo acabam tendo um viés religioso, mesmo que o Islã seja deturpado durante as ações criminosos. Isso faz com que a xenofobia cresça em todo o mundo. Trump, por exemplo, não para de crescer nas pesquisas eleitorais americanas após dizer que impediria povos suspeitos de entrarem no país.

É preciso lembrar, no entanto, que os últimos grandes atentados, tanto quanto a França, como também os Estados Unidos, foram feitos por moradores locais. No caso americano, por exemplo, a ação foi feita por um “lobo solitário”. Um homem casado com uma mulher, mas homossexual e islâmico, decidiu invadir uma boate gay e matar dezenas. No fim de semana, outra boate na mesma região, o estado da Flórida, foi alvo de outro atentado parecido, mas de menor repercussão.

Blasting News